Continuaremos existindo

Nos pintam de bruxas, loucas e demônios
Mas não sabem – ou não querem saber
Que somos pessoas
Com medos, angústias e incertezas
Com sonhos, esperanças e alegrias
Nos queimam, exorcizam e caluniam
Imaginando que vamos deixar de existir (?)
Ou apenas para alimentar suas inseguranças e neuroses (?)
Nos assustam, nos preocupam, nos aterrorizam
Imaginando que vamos deixar de existir (?)
Ou apenas para alimentar suas inseguranças e neuroses (?)
Nos ameaçam, nos intimidam, nos interditam
Imaginando que vamos deixar de existir (?)
Ou apenas para alimentar suas inseguranças e neuroses (?)
Nós
Continuamos existindo, re(ex)istindo
Porque não temos outra opção
Colocamos nossa vida em risco
Porque não temos outra opção
Enfrentamos as forças que nos querem aniquilar
Porque não temos outra opção
Lutamos por nós e pelas outras
Porque não temos outra opção
Vem cá me dar um abraço
Vem cá escutar meus desencantos
Vem cá saber como é difícil e cansativo
A nossa força vem daí
A nossa indignação vem daí
A nossa coragem vem daí
Da necessidade de continuar existindo
Porque não temos outra opção
E mesmo que nos eliminem
Continuaremos existindo
E mesmo que nos matem
Continuaremos existindo
E mesmo que nos abominem
Continuaremos existindo
Lutando com todas as forças, até a exaustão
Porque simplesmente não temos outra opção
Entende por que a gente cansa?
Por que a gente surta?
Porque a gente enlouquece?

E, mesmo assim, continua existindo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

No meu aniversário

#Queermuseu – arte e teologia