Quem sou eu

Minha foto
Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia (EST). Área de Concentração: Teologia Sistemática. Pesquisador nas áreas de: Estudos Feministas, Teorias de Gênero, Teoria Queer, Masculinidade, Homossexualidade e Diversidade Sexual, na sua relação com Religião e Teologia.

Igrejas precisam construir espaços de diálogo e acolhida às pessoas que vivem com HIV/AIDS


13/01/2011 - Através de iniciativa inédita no contexto brasileiro e latino-americano, a Faculdades EST está oferecendo a dez pesquisadores de diferentes regiões do país a oportunidade de refletirem teologicamente sobre as formas de superação do estigma e da discriminação em relação ao HIV/AIDS, tornando as igrejas espaços de acolhimento para as pessoas que vivem com a doença.
Coordenado pela Profª. Dra. Valburga Streck, o Mestrado Profissional em Teologia com ênfase em HIV/AIDS pretende articular um processo de estudo e pesquisa capaz de formar uma rede latino-americana de pessoas que se ocupam com a temática. O projeto está sendo desenvolvido, concomitantemente, na Faculdades EST, de São Leopoldo, no Instituto Universitário ISEDET, de Buenos Aires, na Pontifícia Universidad Javeriana, de Bogotá, e na Universidad Bíblica Latinoameriacana, de San José.

“O HIV/AIDS é uma realidade presente, embora ainda invisibilizada pelas comunidades que tratam a doença como algo distante”, disse o estudante do Mestrado Profissional e pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), pastor Walter Hoppe.

Na avaliação do pastor luterano, as diferentes igrejas estão desafiadas a se redescobrirem no encontro com as pessoas que vivem com HIV/AIDS, formando espaços destinados à prevenção e acolhimento.

Proveniente do Piauí, o pesquisador e psicólogo Demétrio Félix Beltrão da Silva relatou que pacientes com HIV/AIDS sentem a necessidade de se aproximar de Deus diante da possibilidade de uma perda próxima.

Especialista em tanatologia, Félix argumenta que num passado recente religiosos e médicos associavam a AIDS a um castigo divino, favorecendo a difusão de informações distorcidas e desconectadas da realidade.

“Muitas pessoas ainda mantêm uma ideia errônea sobre a AIDS pautadas por aquilo que foi dito no passado, embora as igrejas e a medicina estejam promovendo iniciativas de informação e assessoramento às pessoas que vivem com a doença”, afirmou Félix.

Enfermeira sanitarista, a estudante do MP Sonia Carvalho de Santana argumenta que as igrejas não podem permanecer ausentes da discussão em torno da AIDS. “A Igreja precisa ter o seu papel bastante claro para que as pessoas sintam-se confortadas e livres para manifestar seus medos e angústias em relação ao HIV”, pontuou.

Vinda de Rondônia, Sonia acredita que através do Mestrado Profissional com ênfase em HIV/AIDS a Faculdades EST esteja realizando o sonho de muitos pesquisadores que até então estavam dispersos, embora preocupados em debater a problemática num espaço comum.

O projeto do Mestrado em Teologia com ênfase em HIV/AIDS é financiado pela Agência Sueca para o Desenvolvimento Internacional (ASDI) e conta com o apoio da Igreja da Suécia.

Em dezembro de 2011 será realizado, em Lima, no Peru, um simpósio sobre a temática com professores e estudantes das diferentes casas de ensino que ofertam o curso.

Jornalista Responsável: Micael Vier Behs