Morre a socióloga Heleieth Saffioti, pioneira do feminismo no Brasil


A socióloga Heleieth Saffioti, professora aposentada da Unesp de Araraquara e uma das pioneiras do feminismo e dos estudos de gênero no Brasil, morreu ontem em São Paulo, aos 76 anos.
Autora de 12 livros sobre o tema da condição feminina, entre os quais O poder do macho, que vendeu mais de 60 mil exemplares, Heleieth se tornou referência nacional nas pesquisas sobre as relações sociais, econômicas e políticas entre os sexos. Em fevereiro deste ano, ela deu uma de suas últimas entrevistas à imprensa para a revista Unesp Ciência. Na edição de março publicamos um perfil relembrando sua carreira e sua trajetória acadêmica pelo reconhecimento dos direitos da mulher.
Começava assim: No saguão de entrada de seu amplo apartamento, localizado na elegante esquina da Praça da República com a Avenida São Luís, no centro de São Paulo, estão, lado a lado, cinco retratos: Rosa Luxemburgo, Che Guevara, Gramsci, Marx e Lenin. “Muita gente reserva esse local às fotografias da família; eu prefiro os meus mestres”, afirma Heleieth Iara Bongiovani Saffioti, de 76 anos, uma das mais importantes feministas brasileiras. Sob o olhar deles, outra paixão se revela: prateleiras lotadas de livros, que avançam pela sala e demais aposentos. “Um amigo que entende de cálculos estimou em 20 mil exemplares”, diz Heleieth.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

No meu aniversário

#Queermuseu – arte e teologia

Sobre como fundamentalistas têm ajudado o feminismo e os movimentos pela diversidade sexual e de gênero